Entenda o que é metaverso




















Depois que o Facebook mudou seu nome para Meta em outubro de 2021, o interesse pelo metaverso aumentou significativamente. Empresas do setor de realidade virtual afirmam que, agora, a tendência é de uma expansão e melhora tecnológica que deverão tornar o metaverso mais realista, conquistar um público cada vez maior e abrir uma nova fronteira de mercado.


A ideia representa a possibilidade de acessar uma espécie de realidade paralela, em alguns casos ficcional, em que uma pessoa pode ter uma experiência de imersão. O metaverso não é algo real, mas busca passar uma sensação de realidade, e possui toda uma estrutura no mundo real para isso. O metaverso de certa maneira, é uma evolução de jogos como ‘The Sims‘ e ‘Second Life‘ no sentido de que as pessoas precisam de um avatar para conviver neste ambiente virtual. Porém, agora, de forma hiper-realista.


O metaverso não está tão distante do dia a dia das pessoas como se imagina. Pelo contrário, diversos projetos e produtos já empregam isso. Hoje, chamam de metaverso jogos como o ‘Fortnite’ ou ‘The Sandbox’. Neles, você vai ter um avatar, encontrar outros usuários, comprar ou vender ativos (como terrenos ou skins) e jogar com outras pessoas. Porém, cada jogo é um sistema e eles não se comunicam entre si.


A realidade virtual já foi experimentada com jogos interativos – como ‘EVE: Valkyrie’ e ‘Spider-Man: Homecoming’ – e com reuniões online – como a sala virtual Horizon Workrooms, da Meta. Para participar desses ambientes, muitas vezes você precisa usar óculos virtuais. Atualmente, esses equipamentos evoluíram o suficiente para integrar o movimento da sua cabeça aos jogos. No entanto, você ainda precisa de controles externos para interagir com o metaverso. No futuro, essas tecnologias serão totalmente imersivas e responsivas ao nossos movimentos.


Contudo, o metaverso tem o potencial para ser uma cidade. Você liga seus óculos de realidade virtual e seu avatar aparece nesta cidade virtual onde você pode consumir produtos e serviços totalmente virtuais ou que tenham entrega física. Não existe um dono do metaverso e o que você compra em uma loja você consegue usar em todos os ambientes dessa cidade. Além disso, o metaverso tem potencial não apenas para jogos, mas também para o e-commerce e as redes sociais.


O metaverso é perigoso?


O metaverso não é perigoso na fase de desenvolvimento que está hoje. Na verdade, atualmente, ele chega a ser mais seguro do que a internet. Ainda assim, existem os perigos normais, como golpes e dados roubados. Porém, à medida que o metaverso se tornar mais complexo e onipresente aumentarão os desafios de manter a segurança de seus bens e arquivos e também sua privacidade protegida.